História

por Interlegis — última modificação 26/06/2018 19h08
Textos sobre a história da Casa Legislativa, desde sua criação, bem como, fotos, vídeos, áudios, entre outros.

História da Câmara

por ric — publicado 13/10/2014 12h55, última modificação 26/09/2019 13h09

Histórico da Câmara Municipal de Rio do Campo/SC.

 

Em 25 de agosto de 1955, através da Lei Municipal nº 194 do município de Taió/SC, criou-se o Distrito de Rio do Campo, sendo instalado em 08 de janeiro de 1956. Em 20 de dezembro de 1961 fica criado o município de Rio do Campo, através da Lei Estadual nº 800, de 20 de dezembro de 1961, sendo instalado em 29 de dezembro de 1961.

 

No Livro Vidas no Tempo de Dante Bonin e Victor Butzke (1992, p. 171 e 172) registraram que o primeiro vereador a representar Rio do Campo foi o senhor Alberto Petry na Câmara de Vereadores de Taió/SC, nas legislaturas de 1949 e de 1950 à 1954.

 

Porém a primeira legislatura de vereadores da Câmara Municipal de Rio do Campo/SC teve início somente no ano de 1963.

 

Sendo que na 1ª(Primeira) Legislatura de 1963 a 1967 fizeram parte os vereadores: Artolinos Weber, Eduardo Moratelli, Hilário Preis, Leopoldo Corbani, Othilio Vavassori, Osvaldo Marcelino Fernandes e Policarpo João Florêncio.

 

Na 2º (Segunda) Legislatura de 1967 a 1970 fizeram parte os vereadores: Artulino Weber, Dorotávio Rosa, Hilário Preiss, Leopoldo Corbani, Othilio Vavassori, Paulo Marcelino Fernandes e Policarpo João Florêncio. Em 23 de outubro de 1968 assumiram Lindomar Petry e Eduardo Moratelli.

 

Na 3º (Terceira) Legislatura de 1970 a 1973 fizeram parte os vereadores:  Evaristo João Lopes, Dorotávio Rosa, Guilherme Krenkel, Leopoldo Vavassori, Laurentino Weber, Osmar José de Souza, Osvaldo Feder Marcelino Fernandes, Antenodoro José da Rosa.

 

Na 4º (Quarta) Legislatura de 1973 a 1977 fizeram parte os vereadores: Arlindo Leite

Fredolino Meyer, Helio Miranda, João Tambosi, Lino Niehus, Pedro Mees e Policarpo João Florêncio.

 

Na 5º (Quinta) Legislatura de 1977 a 1983 fizeram parte os vereadores: Afonso Lopes Padilha, Ângelo José Florêncio, Aldo Valle, Ervino Pereira, João Lino Marcos, Luiz Kloch, Leonardo Janning, Olímpio Herbs, Pedro Mees e Reinoldo Haverroth.

 

Na 6º (Sexta) Legislatura de 1983 a 1988 fizeram parte os vereadores: Antonio Sebold, Elias Alves Neto, José Haverroth, Leonardo Janning, Ludovico Jarosz, Orlando Largura e Reinoldo Haveroth.

 

Na 7º (sétima) Legislatura de 1989 a 1992 fizeram parte os vereadores: Armando Losi, Aroldo Fernandes da Rosa, Jânio César Fink, Leopoldo Mees, Norberto Leite, Pedro Orlando Muniz, Reinoldo Haverroth, Waldomiro Ratuchenski Netto, Erotides Rosa Weber e Mario Blasius.

 

Na 8º (oitava) Legislatura de 1993 a 1996 fizeram parte os vereadores: Odair Fernandes, Nildo Bogo, Nauri Miranda, Silvério da Rocha, Valdir Erbs, Irineu Conink, José Haverroth, Julio Rafaelli e Marcos Simão Eyng. Suplente assumiu: Eduardo Kaleski.

 

Na 9º (nona) Legislatura de 1997 a 2000 fizeram parte os vereadores: Nildo Bogo, Evandro Pereira, Renato Rafaelli, Eduardo Kaleski, Marcos Simão Eyng, Heitor Borrinelli, Jair Luiz Muller, José Haverroth e Francisco Osni Nienkotter. Suplente assumiu: Harry Zickuhr.

 

Na 10º (décima) Legislatura de 2001 a 2004 fizeram parte os vereadores: Ivanio João Rosa, Isolete Possamai, Irineu Conink, Heitor Borinelli, José Lueckmann, Marli Barabach da Silveira, Odair Fernandes, Romaldo Kopytowski e Vadislau Ignaczuk. Suplente assumiu: José Haverroth.

  

Na 11º (décima primeira) Legislatura de 2005 a 2008 fizeram parte os vereadores: Adilson Deretti, Darci Exteckoetter, Ivanio Fernandes, Jair Back, Jair Luiz Muller, Paulo Correia, Raimundo Waldrich, Seno Junkes, Wilmar Vavassori. Suplente assumiu: Valdecir Kepp.

 

Na 12º (décima segunda) Legislatura de 2009 a 2012 fizeram parte os vereadores: Adilson Deretti, Alexandro Losi, Antonio Carlos Contezini, Aparecida de Fátima Capstrano Garlini, Marcos Simão Eyng, Mario Henrique de Souza, Rodrigo Preis, Salésio Kulkamp e Seno Junkes.

 

Na 13º (décima terceira) Legislatura de 2013 a 2016 fizeram parte os vereadores: Adilson Kulkamp, Alexandro Losi, Antonio Carlos Contezini, Diomar Sadlowski, Euzenir Becker, Jonny Mary Machado, Raimundo Waldrich, Valmir Saqueti e Veroni Alves.

Suplentes que assumiram: Joanzinho Borinelli (1 mês); Jair Back (1 mês); Nilson Janning (3 meses), Soneli Aparecida Wiliczinski de Oliveira (1 mês); Valdecir Kepp (2 meses), Angelita Tambosi Dias da Silva (1 mês), Elena Schmidt Cordeiro (1 mês), Maria Dilva Paiano Fernandes (1 mês).

 

Na 14º (décima quarta) Legislatura de 2017 a 2020 fizeram parte os vereadores: Antonio Carlos Contezini, Cirlene Maria Candido (Gi), Diomar Sadlowski, Gilmar Florentino da Silva, Jair Back, Jonny Mary Machado, Sidnei Florêncio, Valmir Saqueti e Veroni Alves.

Suplentes que assumiram até setembro de 2019: Antonio José Zanis (1 mês), João Carlos Cunha (2 meses), Salésio Kulkamp(1 mês), Raimundo Waldrich (1 mês), Soneli Aparecida Wiliczinski de Oliveira (1 mês), Marilete Vavassori Rafaelli (1 mês).

 

 Sede

História, Dados e Símbolos de Rio do Campo-SC.

por ric — publicado 16/10/2014 11h50, última modificação 11/09/2019 13h35

Principais Dados:

Área: 506.20 km² (fonte: IBGE/2010) 

População: 6.185 (estimativa - fonte: IBGE/2013) 

Eleitores: 5.042 (fonte: TRE-SC/2012) 

 

Colonização

Em meados de 1916, Antônio Haro Varela, liderando um grupo de famílias desce a Serra Geral, fixando residência na localidade hoje conhecida por Rio Azul, este fato é tido como o início do desbravamento de nossas terras. Em 1922, Luiz Bertoli Senior recebe licença para medição da área, hoje território do município de Rio do Campo, que recebia como pagamento por serviços prestados por sua empresa colonizadora. Com a incumbência de colonizar a região e superando pacificamente alguns conflitos com posseiros aqui instalados, Bertoli inicia a venda de lotes aos primeiros colonos. Em 1936 construía-se uma estrada ligando Rio do Campo a Taió, o que acabou impulsionando o processo de colonização e desenvolvimento. Fundação Em 25 de agosto de 1955, através da Lei Municipal nº 194, cria-se o Distrito de Rio do Campo, sendo instalado em 08 de janeiro de 1956. Em 20 de dezembro de 1961 fica criado o município de Rio do Campo, através da Lei Estadual nº 800, de 20 de dezembro de 1961, sendo instalado em 29 de dezembro de 1961, pertencente a comarca de Taió. Rio do Campo fez parte, sucessivamente, de Blumenau, Rio do Sul e Taió, do qual foi desmembrado. 

Cultura e Turismo 

As belezas naturais, especialmente as cachoeiras Varaneira e Salto do Rio do Oeste, são os maiores atrativos de Rio do Campo. O Morro São Roque, com ótimo acesso a partir da SC-114, tem belíssima vista panorâmica do município, constituído por um grupo de famílias vindas do interior, da Serra Geral, em 1916. Depois, em 1922, chegaram os colonos do Vale do Itajaí. Os hábitos e a cultura dos moradores de Rio do Campo receberam influência italiana, alemã, cabocla (brasileira) e polonesa. 

 

Bandeira do Municípionull

Instituída pela Lei nº 414/77, de 18 de outubro de 1977, a bandeira do município tem as seguintes caraterísticas:

A bandeira do Município de Rio do Campo, do tamanho de 30 (trinta) m de comprimento por 20 (vinte) de largura, ou em tamanho maior, obedecendo sempre esta proporcionalidade, compor-se-á de uma faixa azul e outra verde, de igual tamanho e horizontalmente dispostas: de um losango de cor branca colocado no centro da bandeira, tendo impresso o mapa do Município, no qual, por sua vez, se encontra impresso o Brasão do Município.

  • Brasão do Município
    null

    O Brasão do Município é um dos símbolos oficiais de Rio do Campo. Foi instituído pela Lei Municipal nº 409/77, de 05 de setembro de 1977, ano que a cidade completava 16 anos de emancipação política administrativa.

    O brasão tem a seguinte heráldica:

    • Escudo - significa a proteção e a segurança que o Município tem contra tudo e contra todos;
    • Coroa - significa a pujança do município e seu poderio econômico;
    • Toro e a Árvore - significam a indústria madereira em exploração e o alerta para o desenvolvimento no município;
    • Queda d'água - significa o turismo em expansão no município, bem como o potencial hidroelétrico a ser explorado em nosso rios;
    • Chaminé - significa o potencial industrial em desenvolvimento;
    • Arado e a enxada- representam a agricultura em grande desenvolvimento, sendo a maior fonte de renda do Município;
    • Faixa - Em dois planos recurvados para cima, fundo vermelho, com letras brancas, no centro o nome do Município, a esquerda (29/12), a direita (1961), data de emancipação política de Rio do Campo - SC.

 

Hino de Rio do Campo

LEI Nº 1559, DE 21 DE NOVEMBRO DE 2006.

"INSTITUI O HINO OFICIAL DO MUNICÍPIO DE RIO DO CAMPO".

Letra: Jean Carlos Külkamp

Melodia por Marcos Roberto Telles dos Santos

A história retrata o passado
Desta terra que me acolheu.
O suor deste povo amado
Este solo com semente enriqueceu.

Os heróis ascendentes chegados,
Me deixaram esta terra como herança.
Das vitórias de meus antepassados,
Bons exemplos estão sempre na lembrança. 

Rio do Campo é a minha cidade,
E eu tenho orgulho de ser.
Meu trabalho é a minha vaidade,
É o que faz o meu Brasil crescer.
Catarinense com muito orgulho,
Riocampense de coração.
Não importam as minhas origens,
Faço parte desta imensa nação.

Eu sou caboclo brasileiro,
Polonês, italiano e alemão.
Não importa se vim do estrangeiro,
Desta terra eu sou cidadão. 

Objetivos desta gente altaneira,
No presente sou a marca que ficou.
O progresso é a minha bandeira,
E com luta Rio do Campo emancipou.

Ações do documento